Pesquisar

Luís M. Martins – Advogado

O PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO E O PROCESSO DE INSOLVÊNCIA Em Destaque

Da alteração legislativa operada, a maior inovação é a introdução no CIRE do “processo especial de revitalização” pretendendo-se, aparentemente, alterar o paradigma e finalidade do processo de insolvência. Este passa a privilegiar uma “alegada” recuperação das empresas e das pessoas singulares, em detrimento da liquidação do património, conferindo a prevalência da recuperação em detrimento da liquidação – paradigma que tinha sido abandonado com a revogação do CPEREF.

Contrariamente a anunciada “mudança absoluta de paradigma que coloca efetivamente o enfoque na revitalização, em contraponto com a liquidação/desmantelamento daempresa” importa ter presente que esta não se consegue concretizar alterando um artigo num Código com 304 normativos de cariz executivo, sem que nada se altere na sua tramitação em moldes de permitir a prevalência da recuperação e uma maior intervenção e proteção do devedor no processo.

Para o efeito, alterou-se a redação do artigo 1º do CIRE, atribuindo-lhe um cariz mais virado para a possibilidade de recuperação do devedor substituindo: “O processo de insolvência é um processo de execução universal que tem como finalidade a liquidação do património de um devedor insolvente e repartição do produto obtido pelos credores ou a recuperação destes pela forma prevista num plano de insolvência.” por: “O processo de insolvência é um processo de execução universal que tem como finalidade a satisfação dos credores pela forma prevista num plano de Insolvência, baseado, nomeadamente, na recuperação da empresa compreendida na massa insolvente, ou, quando tal não se afigure possível, na liquidação do património do devedor insolvente e a repartição do produto obtido pelos credores”.

Não se alterou a logica e cariz de liquidação universal e concursal do processo, que começa com a apreensão dos bens integrantes do património para posterior pagamento aos credores, numa perspectiva de saneamento do mercado, nem se alterou aqueles que são os verdadeiros destinatários do código – os credores enquanto donos do património do devedor sendo o processo um meio de garantia patrimonial que a lei coloca ao seu dispor.

Para podermos anunciar que se mudou o paradigma do processo de Insolvência, para uma natureza que privilegia a recuperação em detrimento da liquidação importava, a titulo de exemplo, alterar a importância e o cariz social do processo, retirar a natureza e tramitação executiva do CIRE que visa apenas a repartição de créditos sem qualquer intervenção do devedor, alterar a forma como a Insolvência do devedor pode ser requerida por terceiros, criando mecanismos de proteção eficazes para a continuação da empresa no circuito económico, criar uma instância e tramitação mais perto da recuperação sem que esta corra separada do processo de Insolvência, rever a forma de privação do devedor para administrar ou dispor dos bens, entre muitas outras, tal como consagrado na legislação falimentar anterior, mesmo antes do CPEREF.

O que se concretiza e institui e um procedimento especial, fora do processo de Insolvência, continuando a recuperação da empresa a ser uma decisão exclusiva dos credores, independentemente da existência ou não de viabilidade económica do devedor – noção fundamental para uma mudança de paradigma.
Não se pode dizer que se alterou a finalidade e filosofia do CIRE, pois este continua, ao longo de toda a sua tramitação, a ter uma natureza executiva afastada da recuperação da empresa que corre termos fora do tribunal e afastada do processo de Insolvência, não tendo o órgão jurisdicional poder de decisão no que respeita a verificação da condição objetiva de viabilidade económica que pressupõe a analise da estrutura produtiva da empresa e do mercado em que ela se insere.

Assim, no essencial e na natureza da sua tramitação processual, nada mudou que justifique podermos afirmar que se concretizou uma mudança de paradigma no CIRE, pois a sua génese executiva mantem-se integralmente, continuando a ser um código de liquidação e de tramitação executiva onde pouco espaço e deixado ao devedor.
Em especial as pessoas coletivas, pois quem recupera as empresas e quem esta a frente das mesmas ou conhece o negocio. Não é com uma pseudo intervenção de tribunais e administradores judiciais na atividade das empresas que estas se recuperam. Motivo pelo qual não faz qualquer sentido deixar para o administrador judicial provisório um poder de intervenção nas negociações, ou fazer estas depender do mesmo e muito menos que este assuma a representação do devedor para o apresentar a Insolvência.

Seria mais coerente e célere colocar o processo de revitalização exclusivamente nas mãos do devedor, prevendo a lei a possibilidade de nomear um gestor judicial provisório a pedido do devedor ou dos credores e nos casos de uso abusivo do procedimento ou evidente má gestão.

Luis M. Martins 

Úlima modificação em Quarta, 27 Junho 2012 00:48

Deixeum comentário

Deixe aqui o seu comentário.
Os campos com (*) são obrigórios
Obrigado

Luís M. Martins

Advogado, tenho como área preferencial de investigação e prática o direito da insolvência e recuperação e reestruturação financeira de pessoas singulares e empresas. Saber mais...

Mais Antigos

Anterior Seguinte
DÍVIDAS DO ESTADO NO PLANO DE INSOLVÊNCIA

DÍVIDAS DO ESTADO NO PLANO DE INSOLVÊNCIA

A Fazenda pública tem pugnado nos processo de Insolvência que, face ao preceituado nos arts. 85.º n....

Luís M. Martins Comentários (0) 05 Abr 2005 Visitas:5390 Blog

CASAIS EM DIFICULDADES

CASAIS EM DIFICULDADES

As declarações de insolvência de pessoas singulares estão a aumentar. Em dois anos, duplicaram. Uma ...

Luís M. Martins Comentários (1) 22 Abr 2010 Visitas:1574 Blog

O ADMIN. DE INSOLVÊNCIA

O ADMIN. DE INSOLVÊNCIA

O administrador de insolvência é o "Maestro" no instituto da insolvência. O seu papel de regente ou ...

Luís M. Martins Comentários (0) 13 Maio 2010 Visitas:6743 Blog

DÚVIDAS SOBRE INSOLVÊNCIA

DÚVIDAS SOBRE INSOLVÊNCIA

Um dia destes questionaram-me se existe desconhecimento geral sobre a temática da insolvência. A res...

Luís M. Martins Comentários (1) 15 Jun 2010 Visitas:12069 Blog

DIREITOS DOS TRABALHADORES NA  INSOLVÊNCIA

DIREITOS DOS TRABALHADORES NA INSOLVÊNCIA

Poceram fecha deixando 150 no desemprego”, “Regency - 173 no desemprego”, “Hotel de Berardo deixa 99...

Luís M. Martins Comentários (0) 23 Jul 2010 Visitas:10419 Blog

Mais Recentes

Anterior Seguinte
PESSOAS SINGULARES QUE RECORREM À INSOLVÊNCIA PAGAM CUSTAS?

PESSOAS SINGULARES QUE RECORREM À INSOLVÊNCIA PAGAM CUS…

Desde 2004 que se discute se as pessoas singulares que requerem a insolvência com pedido de exoneraç...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 16 Jan 2013 Visitas:2379 Blog

Estou endividado e não consigo pagar. E Agora?

Estou endividado e não consigo pagar. E Agora?

O que nos dizem os números em Outubro de 2012. - 171724 processos de execução por falta de pagament...

Luís M. Martins Comentários (1) 08 Out 2012 Visitas:7710 Blog

A responsabilidade das instituições financeiras

A responsabilidade das instituições financeiras

A exoneração é um regime que, pelos fins que tem subjacentes, almeja uma regulação eficiente da reab...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 17 Jul 2012 Visitas:4524 Blog

O PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO EM DOIS MINUTOS…

O PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO EM DOIS MINUTOS…

O DEVEDOR E O PODER DE NEGOCIAR E RECUPERAR A EMPRESA Quem recupera as empresas é quem está à frent...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 27 Jun 2012 Visitas:6900 Blog

O PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO E O PROCESSO DE INSOLVÊNCIA

O PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO E O PROCESSO DE IN…

Da alteração legislativa operada, a maior inovação é a introdução no CIRE do “processo especial de r...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 12 Jun 2012 Visitas:5590 Blog

O PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO APLICA-SE A PESSOAS SINGULARES?

O PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO APLICA-SE A PESSOA…

Tenho sido questionado sobre a aplicação do processo especial de revitalização que entrou em vigor n...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 23 Maio 2012 Visitas:7577 Blog

Porque razão as pessoas e famílias pedem insolvência?

Porque razão as pessoas e famílias pedem insolvência?

O aumento do consumo em Portugal acompanhado pela facilidade de acesso ao crédito permitiu melhorar ...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 09 Mar 2012 Visitas:7856 Blog

O que leva centenas de empresas a pedir a insolvência?

O que leva centenas de empresas a pedir a insolvência?

As noticias divulgadas este trimestre, revelam que 17 empresas pedem insolvência por dia. Fala-se nu...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 09 Mar 2012 Visitas:6361 Blog

PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO DE EMPRESAS (PER)

PROCESSO ESPECIAL DE REVITALIZAÇÃO DE EMPRESAS (PER)

No que respeita à recuperação de empresas, o tecido económico empresarial português assiste a mais u...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 10 Fev 2012 Visitas:7195 Blog

A MINHA OPINIÃO.....

A MINHA OPINIÃO.....

"...Sou de opinião que a generalidade dos administradores de insolvência carece de formação e capaci...

Luís M. Martins Comentários (1) 07 Abr 2011 Visitas:4704 Blog

COMO RECUPERAR UMA EMPRESA INSOLVENTE?

COMO RECUPERAR UMA EMPRESA INSOLVENTE?

A insolvência é um risco natural e inerente à actividade das empresas. Pode suceder que, o incumprim...

Luís M. Martins Comentários (1) 14 Fev 2011 Visitas:2991 Blog

EMPRESAS A VENDER PROCESSOS DE INSOLVÊNCIA É CRIME

EMPRESAS A VENDER PROCESSOS DE INSOLVÊNCIA É CRIME

É bom lembrar que apenas os advogados podem patrocinar e acompanhar judicialmente este tipo de proce...

Luís M. Martins Comentários (3) 12 Fev 2011 Visitas:6337 Blog

COMO RECUPERAR?

COMO RECUPERAR?

Recuperar e reestruturar são palavras cada vez mais comuns para as empresas e pessoas singulare...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 10 Fev 2011 Visitas:2618 Blog

COM DÍVIDAS E SEM LUXOS

COM DÍVIDAS E SEM LUXOS

Tudo começou, em 2005, com uma dívida fiscal de quatro mil euros a que não sabia estar obrigado. Ric...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 09 Fev 2011 Visitas:4604 Blog

PERDÃO DAS DÍVIDAS

PERDÃO DAS DÍVIDAS

Os jornais noticiam que as famílias portuguesas estão a colapsar e que, sobre endividadas, recorrem ...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 01 Fev 2011 Visitas:5835 Blog

SALÁRIO NA INSOLVÊNCIA?

SALÁRIO NA INSOLVÊNCIA?

O instituto da insolvência tem duas medidas de proteção ao consumidor/devedor que se encontra imposs...

Luís M. Martins Comentários (1) 18 Jan 2011 Visitas:14522 Blog

A ORIGEM DA INSOLVÊNCIA DAS PME

A ORIGEM DA INSOLVÊNCIA DAS PME

Ressalvando as exceções, importa equacionar a regra. Na sua maioria, as empresas são confrontadas co...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 01 Jan 2011 Visitas:9942 Blog

PMEs - COMO EVITAR FECHAR PORTAS ?

PMEs - COMO EVITAR FECHAR PORTAS ?

Quando questionados sobre quais as suas principais preocupações relacionadas com o risco da sua acti...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 15 Nov 2010 Visitas:1507 Blog

"FRESH START" TEM ESPÍRITO EMPRESARIAL

Se tempos houve em que recorrer ao crédito era algo que não fazia parte do quotidiano da generalidad...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 10 Nov 2010 Visitas:6235 Blog

CRÉDITO TAMBÉM TEM CULPA

CRÉDITO TAMBÉM TEM CULPA

"Endividamento: Crédito predatório também tem culpa".Texto integral da entrevista à Agência Lusa&nbs...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 05 Out 2010 Visitas:5069 Blog

HISTÓRIAS DE VIDAS REAIS

HISTÓRIAS DE VIDAS REAIS

Ganhavam acima da média, tinham património e hábitos dispendiosos. A crise obrigou-os a abdicar de u...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 28 Jul 2010 Visitas:2237 Blog

DIREITOS DOS TRABALHADORES NA  INSOLVÊNCIA

DIREITOS DOS TRABALHADORES NA INSOLVÊNCIA

Poceram fecha deixando 150 no desemprego”, “Regency - 173 no desemprego”, “Hotel de Berardo deixa 99...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 23 Jul 2010 Visitas:10419 Blog

DÚVIDAS SOBRE INSOLVÊNCIA

DÚVIDAS SOBRE INSOLVÊNCIA

Um dia destes questionaram-me se existe desconhecimento geral sobre a temática da insolvência. A res...

Luís M. Martins Comentários (1) 15 Jun 2010 Visitas:12069 Blog

O ADMIN. DE INSOLVÊNCIA

O ADMIN. DE INSOLVÊNCIA

O administrador de insolvência é o "Maestro" no instituto da insolvência. O seu papel de regente ou ...

Luís M. Martins Seja o primeiro a comentar! 13 Maio 2010 Visitas:6743 Blog

CASAIS EM DIFICULDADES

CASAIS EM DIFICULDADES

As declarações de insolvência de pessoas singulares estão a aumentar. Em dois anos, duplicaram. Uma ...

Luís M. Martins Comentários (1) 22 Abr 2010 Visitas:1574 Blog