Luís M. Martins

Luís M. Martins

Facebook
M. 917378233

Website URL: http://www.luismmartins.pt

Intervenção: Conferencista.
Data: Abril de 2011.
Tema:Insolvência”.

Resumo: Conferência promovida pela Delegação de Abrantes da Ordem dos Advogados e realizada na delegação, destinada e advogados.  Abordou-se de forma infomal e entre colegas, a tramitação e processualismo do regime falimentar relacionado com a recuperação económico financeira de pessoas singulares e empresas.

 

Entrevista: Rádio Renascença - "Em nome da Lei".
Data
: Junho de 2011.
Resumo:  O “Em nome da Lei” tem hoje como convidado Luís Martins, um advogado com livros publicados e uma larga experiência na área das insolvências. Na conversa, moderada pela jornalista Marina Pimentel, participam como é hábito os dois comentadores residentes do programa: o juiz da relação de Lisboa Eurico Reis e o advogado e professor Luís Fábrica. 

Este ano, o número de pessoas singulares a requerer ao tribunal que reconheça a sua impossibilidade de cumprir os seus compromissos financeiros já foi superior ao das empresas.Até 15 de Junho, foram mais de 2.000 os particulares a declarar insolvência. Em média, há 17 portugueses que são declarados falidos por dia, segundo o Instituto Informador Comercial. Quase tantos casos como os registados em todo o ano de 2010, em que praticamente já tinha também duplicado o número do ano anterior. 

Intervenção: Conferencista.
Data: Junho de 2011.
Tema:Insolvências individuais e implicações no tecido empresarial".

Resumo: Conferência promovida pela Associação Empresarial da Região de SantarémExiste hoje um fenómeno que assola a sociedade portuguesa, a economia e as empresas. Trata-se da insolvência das pessoas individuais, com a exoneração do passivo restante. Aqui com a impossibilidade de cobrança das dívidas e com a sua exoneração do futuro das pessoas.

Revista Visão, Entrevista - Insolvência pessoas singulares

segunda-feira, 11 abril 2011 01:36 Published in Imprensa

Entrevista: À Revista Visão
Data
: Abril de 2011.
Resumo: "...muitas vezes, as pessoas pedem empréstimos para colmatar aquilo que não ganham (...) mais de 7 mil portugueses chegaram ao fim da linha nos ultimos sete anos (...) Temos um custo de vida superior ao que auferimos e, por outro lado, os créditos surgem como a fórmula para realizar os sonhos no imediato...".

"...cada processo é uma vida que o juiz tem nas mãos...".

Ver o artigo completo.

SIC: entrevista "FAMÍLIAS EM CRISE"

segunda-feira, 02 maio 2011 22:54 Published in Imprensa

Entrevista: SIC - Especial Informação.
Data
: Abril de 2011.
Resumo: Jornal da noite especial informação  - "Famílias em crise".

"...Tentar renegociar com os credores..tentar, não é fácil..se calhar é uma missão quase impossível..."

"... é sempre melhor fazer um plano de pagamentos, a pessoa recupera-se e os credores recebem uma parte da dívida...".

Intervenção: Conferencista.
Data: Abril de 2011.
Tema:Insolvência Pessoal Singular”.

Resumo: Conferência promovida pela Delegação de Matosinhos da Ordem dos Advogados realizada no salão nobre da Camara Municipal de Matosinhos, destinada a advogados e profissionais forenses.  Abordou-se a tramitação e processualismo do regime falimentar relacionado com a recuperação económico financeira de pessoas singulares. Em especial, as figuras do "Plano de Pagamentos aos Credores" e a "Exoneração do Passivo restante". 

A MINHA OPINIÃO.....

quinta-feira, 07 abril 2011 23:25 Published in Blog

"...Sou de opinião que a generalidade dos administradores de insolvência carece de formação e capacitação para o tranquilo exercício da profissão. Não concebo que muitos estejam na profissão e a assumir processos sem preparação técnica para o efeito. Mas a culpa é de quem afere da sua preparação neste caso, o Ministério da Justiça. Se este diz que estão preparados, é porque estão. Mas os processos não reflectem essa realidade - continua-se assim a brincar ao faz de conta.
Mas, mais importante que isto, pois é normal que profissionais de formação económica não tenham competência técnica-jurídica é o facto de, as comissões de credores, não apoiarem a contratação de advogados para os auxiliar nos processos. Preferindo vetar essa possibilidade e, quando as coisas correm mal, culpar o Administrador e pedir a sua destituição…"

Intervenção: Conferencista.
Data: Março de 2011.
Tema: “Meios de Recuperação Financeira de Particulares”.

Resumo: Conferência realizada no ISEG, destinada ao público em geral que teve como objectivo abordar os meios de Recuperação Financeira (judiciais e extra-judiciais), de recuperação económico financeira de pessoas singulares. 

Jornal Público, Entrevista - Insolvência pessoas singulares

terça-feira, 29 março 2011 17:19 Published in Imprensa

Entrevista: Ao Jornal Público.
Data
: Março de 2011.

"...Num contexto de desemprego elevado, mais carga fiscal, aumento dos preços dos combustíveis e dos alimentos, cortes salariais na função pública e recessão económica, tudo aponta para que o número de insolvências de pessoas singulares seja, este ano, superior às 2924 registadas em 2010. Ainda para mais quando se perspectiva uma subida das taxas de juros. A Euribor, à qual está indexada a maioria dos empréstimos à habitação, tem estado a subir desde o final de 2010 e deverá subir ainda mais se o Banco Central Europeu (BCE) aumentar, já em Abril, as taxas de referência, para travar a inflação...".

COMO RECUPERAR UMA EMPRESA INSOLVENTE?

segunda-feira, 14 fevereiro 2011 01:49 Published in Blog

A insolvência é um risco natural e inerente à actividade das empresas. Pode suceder que, o incumprimento, pelo seu montante ou pelas circunstâncias em que ocorre, "evidencie a impossibilidade satisfazer pontualmente a generalidade das suas obrigações vencidas", impondo aos gerentes/administradores decidir qual a melhor estratégia para a empresa: Apresentar-se à insolvência com o simples intuito de liquidação/dissolução da empresa ou, recorrer a um plano de reestruturação através de um plano de insolvência que equacione, entre outras particularidades, a possibilidade do devedor continuar na administração da empresa tendo em vista a sua recuperação económico-financeira.

Pág. 4 de 13